quinta-feira, 18 de abril de 2019

As geo-apps da Intergraph(?) na PlayStore

EDIT: removi a ligação à Play Store porque desde que este post foi originalmente publicado, há duas semanas, a app analizada ultrapassou os +500 downloads. Capiche?!

Em termos de apps mais geo, a Intergraph tem na PlayStore, desde 2016, a app Geospatial Portal. Também lá está o Mobile MapWorks (juntamente com o MapWorks Essentials, e Advantage, seguindo aparentemente a nomenclatura do Geomedia).

Ainda não mudaram o nome na PlayStore para Hexagon. Poderiam tê-lo feito. Na App Store da Apple também ainda não mudaram. Realmente, se calhar, se actualmente, pessoas familiarizadas com a marca Intergraph já são poucas, então, Hexagon, muito menos.

Não sei se o pessoal mais ligado à produção cartográfica ainda utiliza o OrthoPro , ou a ImageStation (sempre associei o Geomedia mais à aquisição de dados).  E sinceramente, já não tenho paciência para ir confirmar, por exemplo, nos Boletins anuais do ex-IGEoE.

Talvez a aquisição da Luciad pela Hexagon, em 2017, tenha modificado a situação (estou a pensar na adopção do Geopackage como default data warehouse). Afinal de contas, a Luciad sempre  foi uma das implementações de referência do Geopackage, tendo já desde 2014, ano da publicação do standard, a biblioteca libgpkg disponível no BitBucket. 

...biblioteca que pode ser utilizada pelo OpenJump, também. Desde 2014. O Open em OpenJump é uma referência a... Open Source!! Para não falar do suporte a Geopackage introduzido na GDAL/OGR 1.11, e consequentemente também no QGIS , em ambos os caso em 2014. 

Por outro lado, a possibilidade de ligar o Geomedia ao PostGIS disponibilizada em 2014 através de repositório no CodePlex, pareceu mais uma atitude desesperada de lançar umas migalhas ao open source. Aqui, basta referir apenas que o QGIS foi desenvolvido originalmente como um cliente para PostGIS, e que o OpenJump teve no seu desenvolvimento original não só um do pioneiros do PostGIS, como também o criador da Java Topology Suite(JTS).

Não que os "parceiros" estejam minimamente preocupados com isso, até porque continuam até hoje a vender Geomedia acompanhado de licenças Oracle ASFU, as quais têm de ser renovadas anualmente. 

"There's a sucker born every minute"!
   
Mas voltemos ao mobile,

Geospatial Portal 


"Skip and go to demo", e assim vamos para a demo.


Apesar de já publicada há 3 anos (2016), continua na banda dos 100+ downloads (o mesmo para o MapWorks Essentials e Advantage). Numa empresa com milhares (4000?) de funcionários, fica um pouco a ideia que não acreditam muito nos produtos que andam a vender, ou que nem sequer se deram ao trabalho de descarregar a app.




Tratar-se de uma app híbrida que utiliza Openlayers e Cordova também não ajuda nada. Isso nota-se logo pelo tempo de arranque inicial, e também ao carregar o projecto demo. E é uma versão  de debug do OL!



Tem o hardwareAccelerated="true" no AndroidManifest.xml. Não sei se o Cordova anda a definir isto por defeito, mas com a excepção de jogos ou outras aplicações mais intensivas, a aceleração de hardware deve ficar ao critério do utilizador.




As apps MapWorks Essentials e Advantage também têm demo, praticamente o mesmo em termos de performance e decompilação.

No caso deste tipo de apps, que são na realidade web apps, é extremamente fácil recuperar a "página" web original. Basta tratar o apk como se de um simples ficheiro zip se tratasse. Descomprimir. E, quanto muito, alterar os caminhos que apontam para www dentro da pasta assets. E quem desenvolve em Cordova, ou noutra tecnologia híbrida, sabe isso perfeitamente. Ou tinha obrigação de saber.

...e por uma questão de cortesia ficava bem fazer a atribuição ao Openlayers. No Mapa está só a atribuição ao OpenStreetMap e Leaflet.

As pessoas que desenvolvem estas bibliotecas de código aberto, ficam sempre felizes por saber onde é que o seu trabalho está a ser utilizado.














 




Sem comentários:

Enviar um comentário